sexta-feira, 2 de maio de 2008

Mais um pouco de Alentejo

Alentejo dos sobreiros
Azinheiras e olivais
Alentejo, minha terra,
Eu quero-te sempre, mais!
Alentejo das searas
Em Abril a ondular!
E das chaminés, branquinhas
Ao sol-posto a fumegar.

Dos tarrinhos de cortiça,
Das samarras e safões,
Dos pastores e dos morais,
Dos manajeiros e dos ganhões,
Símbolos deste Alentejo
Que eu, p'ra bem poder cantar,
Hei-de beijar a planície
De joelhos, a rezar.


Autor : Maria Águeda Lopes Roseiro

4 comentários:

Manuela Alexandra disse...

Oi!!!
Muito bem, és mesmo alentejana fanatica...
Jinhos

Cor de Mel disse...

Olá Etelvina,
Muito obrigada pela sua visita e pelo simpático comentário. É sempre um prazer receber visitas novas e que apreciam o nosso trabalho e como tal, andei aqui pelo seu cantinho a ver os seus trabalhos e adorei, pois acho que é uma verdadeira artista na arte da "agulha", como eu costumo chamar-lhe...
Como não percebo quase nada do que seja feito com agulhas, sou grande fã dos trabalhos que implica o uso das mesmas.
Beijinhos,
bom fim de semana e volte sempre,
Lia.

SANDRA RIBEIRO disse...

ola vim desejar um bom fim de semana e feliz dia da mae beijos

Isabel Santos disse...

Olá Bibi!
Gostei muito do poema de dedicas-te ao teu Alentejo, devemos manter o amor à nossa terra.
Tem um excelente fim de semana.
Beijinhos